terça-feira, 18 de agosto de 2020

Carta do Editor - 5º Editorial.

 

Eu só queria uma boneca...


O julgamento dos homens, que usam de preconceitos para auferir a dignidade de uma criança, uma menina. A mesma balança com que aferem as mulheres na sociedade, são cravados até a alma de machismos e sexismos, com o agravante de possuírem a consciência entorpecida pela religião, o ópio da sociedade dos “homens de bem”, deliberam e vociferam atados aos seus ódios divinos, assassina, assassina, assassina.

Usam da violência, e dizem desejar a paz, mas, são incapazes de sensibilizarem-se pela dor de outras pessoas, dizem que se valem do amor de um preso político, que foi julgado, aviltado e morto, por outros tantos déspotas, que vociferavam tal qual fizeram com esta inocente criança: Barrabás, Barrabás, Barrabás...:

Não entendem nada de amor, fundamentalizam as ações em um livro que ensina a amar, mas cegos pelas letras, não enxergam o que sentem, são os fariseus dos tempos modernos, incapazes de entenderem os sentimentos que não estão contidos nas vozes de seus líderes religiosos, carregados de ódio e de interesse próprio, enquanto vivem uma teoria de prosperidade que justifica a ganância cega, que quando não mata, leva a morte.

Estes sentimentos estão também no Movimento Espírita, ofuscados pelas letras evangélicas, a associação que devia falar em nome da ciência Espírita, brada alto a não compreensão da Filosofia Espírita, expondo uma criança de 10 anos, já tão desprotegida a mais linchamentos públicos, por conta de uma concepção ideológica própria, dos que não conhecem a doutrina, mas que estão atolados nas tramas da compreensão religiosa, que faz com que ideias e ideologias valham mais do que pessoas, sentimentos e intimidades.

A todos estes arautos da bondade, que em nome da Doutrina Espírita, defendem que uma criança de 10 anos de idade, que foi estuprada por 4 anos consecutivos, que engravidou desta violência, dê à luz, vos pergunto: o que entendem de desigualdade e injustiça social? O que entendem de feminicídio?  O que entendem de extermínio negro? O que entendem de violência LGBTQIA+? O que entendem de povo? De vida? De gentes? De Humanidades?

Chegamos ao fim destas ilações buscando a compreensão da razão, pois, é assim, que nos ensina as reflexões que emanam da Filosofia Social Espírita, ressignificando o amor, as humanidades, percebendo, estudando, pesquisando, mas, fazendo parte da vida e de todas as questões sociais que possuem a sua gênese no comportamento dos seres humanos, sem que nos sintamos apêndices sociais, seres aleatórios e acima das leis que regem e dão ordem a natureza.

Nestas reflexões de amor, de compreensão a dor de uma criança, dizemos que não te condenamos, não te julgamos, pelo contrário nos solidarizamos as dores que dilaceram e as marcas que ainda insistirão em dilacerar-te, compreendemos, e bradamos em defesa desta vida, e bradaremos ainda mais se for preciso, dizendo silenciosamente, com os sentimentos de amor em forma de prece: Meu bem, você não fez nada errado e perdão por tanta incompreensão as dores profundas da tua alma tão jovem: perdão, perdão, perdão, perdão...


Editorial Ágora Espírita: Alexandre Júnior.

 

34 comentários:

  1. Nossa, Alexandre. Chorei 🧡 Gratidão pela por tanta sensibilidade em meio à essa turbulência de horrores.

    ResponderExcluir
  2. Jesus nos pede a ser servos do próximo e nunca carrascos.
    Jesus abandonou a letra que mandava apedrejar a mulher pega em adultério danado testemunho que a vida está acima de qualquer dogma. Como seus discípulos hoje em dia grita assassina para uma criança de 10 anos que mais uma vez vítima de uma sociedade doente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acolher com o coração, a letra sem amor, é como um punhal dilacerando subjetividades.

      Excluir
  3. Texto importante para trazer luz ao debate num momento em que o movimento Espírita sofre o avanço de uma retórica pouco afeita à ciência.

    ResponderExcluir
  4. Oportuno e bem escrito. Parabéns, Alexandre. Temos que propagar sempre a moral e a verdade.

    ResponderExcluir
  5. Belissimo texto. Aos espiritas autoritarios e fundamentalistas,maçons e comerciantes que se vincularam a extrema direita...so nos resta orar para que deixem de deturpar a bondade, e o espiritismo, ainda mais à mando de um necromantico evangelico q quer se perpetuar no poder.

    ResponderExcluir
  6. Ante a adultera o que disse Jesus?
    - "Mulher onde estão os que te condenaram?"
    A esta criança o que diria Jesus?
    Com absoluta certeza não a condenaria.
    Sofrer, sofrer e sofrer mais?
    Uma criança?
    Onde a compreensão das lições cristãs?
    Hoje o que temos, como bem traduzido nas palavras do Alexandre, fariseus que nunca se colocaram na condição de sofredores, alguns até contribuíram para a situaçao socio politica do país, colaborando para o fanatismo e intolerância.
    AEstes direi...estás longe de serdes CRISTÃOS... Deus os entendam e os perdoe.

    ResponderExcluir
  7. Ante a adultera o que disse Jesus?
    - "Mulher onde estão os que te condenaram?"
    A esta criança o que diria Jesus?
    Com absoluta certeza não a condenaria.
    Sofrer, sofrer e sofrer mais?
    Uma criança?
    Onde a compreensão das lições cristãs?
    Hoje o que temos, como bem traduzido nas palavras do Alexandre, fariseus que nunca se colocaram na condição de sofredores, alguns até contribuíram para a situaçao socio politica do país, colaborando para o fanatismo e intolerância.
    AEstes direi...estás longe de serdes CRISTÃOS... Deus os entendam e os perdoe.

    ResponderExcluir
  8. texto muito bom. realmente a criança precisa de todo apoio. porém esquecemos de ser solidarios com o espírito que foi extraido. que não sabemos qual a utilidade de ter reencarnado e morrer em tão breve tempo. as criaturas realmente foram muito duras, em chama-la de assassina sabendo que não depende dela a decisão, visto que é de menor e sim dos adultos que estavam cuidado da mesma. Na verdade o que precisamos fazer é vibrar com muito amor,por todos: a criança , mãe, o feto, aos resposanaveis, aos medicos, ao estuprador, a todas as pessoas que estiveram na frente do hospital. E pedir que possam ter suas consciencias tranquilas, e que tenham certeza de ter sido feito o melhor para ambos. Afinal somos espiritas e sabemos que as consequencias etíco e moral é o que vem logo apos a filosofia com bases cientificas . Parabéns pelo texto

    ResponderExcluir
  9. Chorei! Belíssimo posicionamento, humano e sensível!

    ResponderExcluir
  10. Chorei! Belíssimo posicionamento, humano e sensível!

    ResponderExcluir
  11. Belíssimas palavras para poder compreender que o nosso mestre nos disse atire a primeira pedre aquele que não tiver pecados,nossos agradecimentos, pois fui eu chamado também de abortista e eu disse sou a favor da vida e principalmente da vida de uma criança que está sendo julgada pela cegueira de muitos que se dizem cristãos,mais se esquecem do Cristo quê nunca julgou. Parabéns!!! pelo texto que muito me confortou também. Mais uma vez parabéns! Parabéns! Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. Me sinto contemplado nestas palavras. O movimento espírita não deve entrar nesta onda fundamentalista que machuca e não reconhece a dor do outro...nem mesmo de uma criança... lamentável!

    ResponderExcluir
  13. Num foi Ele quem falou: “… E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta, a mim me recebe. Mas qualquer que fizer tropeçar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e se submergisse na profundeza do mar…”. Então como enquanto cristão condenar um ser em risco de vida? Não é melhor que se salve uma em vez de arriscar as duas? Não seria melhor vermos as traves dos nossos olhos para depois tentar AJUDAR o próximo? Se Alexandre me der permissão, assino em baixo o que foi escrito! - Pedro Henrique

    ResponderExcluir
  14. Essas palavras de amor, me representam, esses questionamentos dão voz à minha alma inquieta!!! Gratidão ao Ágora e à todas as pessoas que lutam por justiça, por justiça social com o amor nas palavras, no coração e na ação!!!

    ResponderExcluir
  15. Meu Deus! Amo demais o Ágora. Que texto! Muito obrigada por vocês existirem

    ResponderExcluir
  16. Xande,ler esse texto pra mim foi como se vc tivesse dado forma ao meu sentimento... emocionante!
    Não esperava outra coisa de um ser humano como vc!
    PARABÉNS!🙏❤️

    ResponderExcluir
  17. Excelente texto. Continuemos nosso trabalho.

    ResponderExcluir
  18. Excelente texto, Alexandre!
    Apreciação amadurecida, fruto de um olhar que se eleva à letra que, quando não mata, infelicita. A santa crueldade escora-se em argumentos religiosos para garantir a cidadania de suas barbaridades. É assim, também, que muitos buscam em interpretações aleijadas uma maneira de se elevarem como juízes da moral, tal como o fazem no medonho caso da menina de 10 anos. São perversos, e se não constituissem a imensa massa que nos engole jamais mereceriam a nossa atenção.
    O seu texto foi corajoso. Falar com bom senso não é fácil numa sociedade que reprime seus melhores sentimentos em respeito a ideias mal rebocadas, mas erigidas como verdades absolutas.
    Torço pelo sucesso do seu trabalho, meu amigo, um esforço que vem atraindo companheiras e companheiros admiráveis espalhados em nosso país, pois se fundamenta na mais preciosa possibilidade do ser humano: pensar livremente.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  19. Excelente texto, Alexandre!
    Apreciação amadurecida, fruto de um olhar que se eleva à letra que, quando não mata, infelicita. A santa crueldade escora-se em argumentos religiosos para garantir a cidadania de suas barbaridades. É assim, também, que muitos buscam em interpretações aleijadas uma maneira de se elevarem como juízes da moral, tal como o fazem no medonho caso da menina de 10 anos. São perversos, e se não constituissem a imensa massa que nos engole jamais mereceriam a nossa atenção.
    O seu texto foi corajoso. Falar com bom senso não é fácil numa sociedade que reprime seus melhores sentimentos em respeito a ideias mal rebocadas, mas erigidas como verdades absolutas.
    Torço pelo sucesso do seu trabalho, meu amigo, um esforço que vem atraindo companheiras e companheiros admiráveis espalhados em nosso país, pois se fundamenta na mais preciosa possibilidade do ser humano: pensar livremente.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  20. Perdão! É o que devemos pedir agora. Mas também, agir para evitar novos linchamentos morais à esta criança. Cobrar dos espíritas uma postura cristã, coisa que o movimento está necessitando, aos mesmos que estão julgando a sociedade que clama pelas dores profundas em sua alma. Quando vai além dos farneis que sustentam o corpo, a hipocrisia "espirita" aparece.

    ResponderExcluir
  21. Oracao para os envolvidos; amparo a crianca, vitima de violencia e fruto de uma familia completamente desestruturada. A menina que nao nasceu. Paciencia, voce tera nova oportunidade. Desejo que seja numa gravidez desejada onde seja cercada de todo o amor que voce merece. Podera vir a ser filha da mesma mae, mas em condicoes favoraveis a tua educacao. Ela adulta, em relacionamento estavel e voce sendo desejada, querida. Em futuro breve voce retorna. Leve essa experiencia como aprendizado e nao se revolte. Sua mae tambem era uma crianca. Paciencia e fe. Espero que saibamos de um feliz desfecho para o caso. Espero justica para os algozes. Precisarao de preces. Sao espiritos ainda muito desajustados. Enfim, a crianca deve ser ampaeada e os responsaveis, punidos. Espiritualmente, todos necessitam de preces e boas vibracoes.

    ResponderExcluir
  22. O olhar de uma criança ao descobrir as primeiras linhas desta doutrina esclarecedora, é de encantamento, é de descobertas. Vou poder reencarnar, vou voltar a ver minha mãe e o meu pai, ninguém vai se perder, meus avós amados... Crescemos, aprendemos a entender as entre linhas, passamos a ler as mesmas obras que os nossos orientadores leram para nos ensinar e, descobrimos que algo não confere.
    Esta criança queria apenas uma boneca, na visão do nosso amigo e escritor Alexandre Júnior.
    Mas, uma turba de religiosos fanáticos, espiritas que não compreendem a própria doutrina, católicos e Evangélicos, culpam e gritam assassina, assassina.
    uma garotinha vitima de quem deveria acolher, cuidar.
    O seu artigo amigo, nos leva a reflexão de quanto nós somos ainda desumanos. Como é trabalhoso o crescimento, o discernimento de nossa própria compreensão do que amar.
    Espero poder reler e refletir mais, para que a criação que sou, não possa permanecer nas sombras da agonia deste planeta. Parabéns.

    ResponderExcluir
  23. Texto muito bom. Vejo cristãos que do Cristo nada sabem. São insensíveis em nome de um fanatismo que lhes cega e endurecer o coração. Que a piedade lhes visitem.

    ResponderExcluir
  24. Nesses tempos sombrios de fundamentalismo religioso, inclusive no meio espírita, esse texto é necessário e urgente, para tentarmos sair do estado letárgico em que nos encontramos em relação às questões sociais. Parabéns, Alexandre e ao Ágora, pelo texto, e pelo trabalho que tem sido desenvolvido dentro do movimento espírita.

    ResponderExcluir
  25. Amigo Alexandre quão sensível você a dor humana. Sabe quem realmente entende e conhece o sofrimento dessa menina? As outras meninas tão vítimas quanto ela todos os dias nesse país. Lamentável.

    ResponderExcluir
  26. MARCO POLLO CARNEIRO DUTRA DA SILVA21 de agosto de 2020 12:31

    Dileto amigo e nobre escritor ALEXANDRE JÚNIOR, este comentário faz-nos refletir o nosso imprescindível papel como cidadão, diante de uma lamentável realidade. A excelência deste, nos envolveu de uma inevitável emoção e a inevitável lágrimas, diante das deploráveis e irresponsáveis atitudes que o ser humano prejulgar e sentencial o seu irmão. Parabéns é pouco, mas é o mínimo que poderei expressar sapiente do seu expor. Um grande do seu eterno amigo Marco Pollo Dutra

    ResponderExcluir
  27. Excelentes reflexões, Alexandre! Obrigada!

    ResponderExcluir
  28. Contemplado com as palavras do Editorial. Sou contra o aborto, mas há casos e casos.O da criança de 10 anos é um caso que merece atenção.
    Grato

    ResponderExcluir
  29. Texto forte e sensível... que faz refletir sobre um fato tão cruel. Gratidão pela partilha.

    ResponderExcluir
  30. Essas palavras soam como um alento em meio a tanta tristeza q nos envolveu diante de tantas falas cruéis e insensíveis de humanos desumanos e de outros perdidos na ilusão do fanatismo religioso. Dias difíceis e fato q nos deixou bastante tristes. E ao saber de espiritas q não priorizaram defender salvar a vida do corpo e dá consolo para alma dessa criança doeu muito no meio de uma pandemia. Obrigada por suas palavras. Parabéns por se sensibilizar.

    ResponderExcluir
  31. Belo artigo, Alexandre.
    Posiciona o espiritismo no nível de solidariedade do qual jamais deveria ter saído.
    Abraço e parabéns!

    ResponderExcluir
  32. Parabéns Alexandre Junior pelo olhar atento e carinhoso a dor de uma criança. Que Jesus te abençoe!

    ResponderExcluir
  33. Reflexão importante nesse contexto em que o conservadorismo se atreve até mesmo a destruir a infância. O texto objetivo e muito tocante.

    ResponderExcluir

O Ágora agradece seu comentário

Carta do Editor - 6º Editorial.

  Espiritismo Progressista, sem amor, é falácia! Falamos constantemente sobre a liberdade que Kardec conclama ao elevar o ser Espiritual a c...